Portal da Saude

Portal da Saúde
Neuropsicologia


OBJETIVO

Prestação de serviços no domínio da recuperação e aumento da qualidade de vida do paciente visando a reabilitação cognitiva, como manutenção de um adequado nível neurocognitivo, que garanta a autonomia da pessoa afetada.


DESTINATÁRIOS

Pessoas com dificuldades neurocognitivas, funcionais e com problemas comportamentais crónicos ou decorrentes de lesões cerebrais adquiridas.


AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

Exame das funções cognitivas do indivíduo, que pretende avaliar e identificar a integridade das funções nervosas superiores (atenção, memória, consciência, linguagem e cognição), através da utilização de testes padronizados.

Procura, ainda, fazer o despiste de problemas ao nível da relação entre o funcionamento cerebral, a cognição, as emoções, a personalidade e comportamentos.

É muito importante perante suspeitas de défices cerebrais.

Permite traçar um perfil cognitivo do paciente e compará-lo com o esperado para a sua idade.

É aconselhada uma avaliação neuropsicológica quando existem sintomas frequentes e recorrentes de:

- Esquecimentos frequentes

- Dificuldades em encontrar as palavras na fala

- Dificuldade em reconhecer familiares

- Perder-se em sítios conhecidos

- Dificuldades de concentração

- Dificuldades em conduzir veículos automóveis

- Dificuldade em realizar tarefas que antes fazia sem esforço

- Dificuldade em seguir noticiários/novelas, não sendo depois capaz de relatar o acontecimento


Casos especificamente indicados para a avaliação neuropsicológica:

- TCE: Traumatismo Cranioencefálico

- AVC: Acidentes Vasculares Cerebrais

- Neoplasias Cranioencefálicas

- Esclerose Múltipla

- Estados Comatosos

- Dificuldades de Aprendizagem

- Epilepsia

- Perda Acentuada de Capacidades Intelectuais/Cognitivas

- Distinção entre Depressão e Demência

- Perturbações Neuropsicológicas (demências)


IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO

Permite diagnosticar um processo degenerativo do sistema nervoso central numa fase bastante precoce e, desta forma, alertar o Neurologista para um planeamento fármaco-terapêutico, visando abrandar o avanço do processo demencial.

Nos casos de neoplasias cranioencefálicas, ou em situações de AVC, após se detetar quais as áreas afetadas pela lesão e quais as funções comprometidas, proceder-se-á à estimulação das mesmas através da reabilitação cognitiva.

Em crianças, é possível fazer o diagnóstico de problemas de aprendizagem diretamente relacionados com o sistema nervoso cerebral (dislexia, hiperatividade, deficit de atenção) por oposição a problemas de origem emocional.


FASES DA NEUROPSICOLOGIA DE INTERVENÇÃO

1. Avaliação Neuropsicológica

2. Relatório/ Devolução dos Resultados

3. Sequência de Sessões de Reabilitação/Estímulo Cognitivo nas zonas cerebrais que apresentem deficit